"Quando falamos em gestão contábil e fiscal, o controle, a expertise e compliance é tudo."
Rua Voluntários da Pátria, 475 - 11º Andar - Cj 1105-A, Centro - Curitiba/PR
  • (41) 3665-7770
  • (41) 99965-7770

Procedimentos importantes a serem observados na área tributária

Aprender a solucionar problemas tributários dentro de uma organização gerando compliance junto as constantes alterações nos âmbitos, Federal, Estadual e Municipal não é uma tarefa fácil. Encontrar a solução deste problema requer não apenas o uso de ferramentas de auditoria fiscal que apontem de maneira clara e objetiva informações que ajudem a empresa na tomada de decisão, mas também de uma equipe com a expertise necessária para prover segurança na apuração de impostos e entrega de declarações.

Aprender a solucionar problemas tributários dentro de uma organização gerando compliance junto as constantes alterações nos âmbitos, Federal, Estadual e Municipal não é uma tarefa fácil. Encontrar a solução deste problema requer não apenas o uso de ferramentas de auditoria fiscal que apontem de maneira clara e objetiva informações que ajudem a empresa na tomada de decisão, mas também de uma equipe com a expertise necessária para prover segurança na apuração de impostos e entrega de declarações.

A empresa precisa acertar seus processos para poder trabalhar de forma ágil e assertiva, facilitando assim a rotina não só dos profissionais da área tributária, mas também do contábil, trabalhista, previdenciário e societário, afinal muitos processos entre estas áreas são interligados.

Como encontrar a melhor solução pode demorar algum tempo, pois, depende de várias tentativas e da evolução dos processos na empresa, muitos empresários desistem desta ideia, mas mal sabem que estão perdendo produtividade ao não investir em melhorias nos seus próprios setores internos, principalmente o tributário, que é um dos setores mais onerosos por conta da complexidade da nossa legislação.

Um exemplo de algo que está em alta é a automatização de processos, que se feita com as ferramentas certas ajudam a empresa a ter mais produtividade, a cortar custos desnecessários, auditam e alertam sobre falhas na tributação, dando mais segurança a empresa.

Para as micro e pequenas empresas que pensam que essas mudanças não são necessárias, por conta do seu porte, revise seus conceitos. Por isso, quero destacar 6.

  • Crescimento – No presente sua empresa pode ser pequena, mas como vai ser no futuro? Passam-se anos e muitas empresas com potencial de crescimento real ficam estagnadas com o mesmo faturamento, por não se ressignificar, e isso em vários sentidos onde o tributário é só um deles. Pensando nisso como o empreendedor pode evitar que sua empresa caia em uma zona de conforto e pare de crescer, ou pior venha a ter prejuízos? Em primeiro lugar o empreendedor precisa começar a dar atenção a outros pontos que não só as vendas e faturamento, eles são essenciais, mas deve-se dar atenção também as outras áreas que podem estar lhe consumindo recursos sem você se dar conta e lhe impedindo de crescer mais. E é nisso que entra o planejamento tributário, ele lhe permite ver o melhor regime tributário, com menos burocracia e barato para que você possa desempenhar suas atividades com eficiência.
  • Entender melhor a contabilidade: A contabilidade é uma ciência riquíssima em prover dados para os gestores. Diferente do que alguns empreendedores pensam, o contador faz uma quantidade de tarefas que a maior parte dos empreendedores não sabe, ou não tem interesse em saber, e o que é pior não aproveita como poderia os conhecimentos desse profissional. A precificação do seu produto, por exemplo, pode ser melhor feita quando você entende os tributos que estão inseridos nela, mas para isso você precisa entender quais impostos você paga e o reflexo deles nas suas receitas. O que fica mais claro com alguns relatórios gerados dentro da contabilidade.
  • Carga tributária do produto no preço final: Já que estamos falando em precificação, vamos pensar o seguinte, se uma empresa que vende um produto com custo de R$ 1,30 por exemplo, vende este produto a R$ 4,00, dá a impressão que ela teve um lucro de R$ 2,70 não é?! Mas se engana, pois, na manutenção do preço deve-se levar em consideração a carga tributária. De maneira geral você precisa colocar os tributos no seu preço final de venda para não acabar arcando com esse ônus no seu lucro, do contrário você sempre terá um “pseudo-lucro” ou seja, um lucro irreal, que se analisado pode nem ser um lucro, e sim prejuízo.
  • Crie uma rotina de revisão da legislação: Com o objetivo principal de manter a empresa gerando dados tributários confiáveis, a constante reanalise da carga tributária é necessária, e se estamos falando em tributação inevitavelmente vamos falar de legislação. Realizar esse procedimento mantém a empresa pagando os impostos corretamente, dando mais segurança jurídica, e em caso de redução da carga tributária, essa é implementada respeitando a elisão fiscal.
  • Planejamento tributário: As empresas que consideram o planejamento tributário uma opulência desnecessária no planejamento de suas atividades, está cometendo um enorme equívoco que pode lhe gerar prejuízos. É importante lembrar que um planejamento tributário completo e bem organizado permite não só redução de gastos, como aumento de ganhos e melhores resultados nos controles de arrecadações e alíquotas dos impostos.
  • Confira as características de seus fornecedores; Por conta dos diferentes regimes de tributação que temos hoje, Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional, temos de observar não apenas o regime tributário que a sua empresa está usando, como também a do seu fornecedor. O regime tributário do seu fornecedor no momento da compra, por exemplo, caso você compre de uma empresa que não lhe forneça crédito, de algum imposto que você apure no regime não cumulativo, ou que ofereça menos crédito, e o fornecedor não tem um preço muito abaixo dos demais, pode prejudicar as suas finanças e diminuir sua competitividade no mercado. Afinal, seu custo de aquisição será mais alto.